REFORÇOS ESTRUTURAIS

– Reforços estruturais em concreto armado;

– Reforços com cordoalhas para protensão externa;

– Reforços estruturais com fibras de carbono;

– Reforços estruturais com chapas metálicas coladas ou parafusadas.

 

REFORÇO ESTRUTURAL COM FIBRAS DE CARBONO

A Fibra de carbono se apresenta como forma de tecido unidirecional ou lâminas de polímero reforçados com fibras, e é uma técnica bastante usada no reforço estrutural de construções de concreto armado, que são coladas com adesivos às estruturas existentes. O reforço com a fibra de carbono pode ser utilizado em situações de recuperação de estruturas, onde existem perdas da seção de aço, no caso de corrosão de armaduras. Também pode ser utilizado quando ocorrem mudanças no uso da edificação, ocasionando sobrecargas não previstas no projeto. Tem como principal vantagem a rapidez e a praticidade de sua execução, no entanto é necessário que seja aplicado por empresa especializada, caso contrário, o seu desempenho pode não ser o esperado.

OBRAS DE INFRAESTRUTURA E DE SANEAMENTO

– Reservatórios subterrâneos e elevados;

– Estações de tratamento de água e esgoto;

– Piscinas;

– Galerias e canais;

– Pontes e Viadutos;

 

TABULEIRO DE PONTES EM VIGAS PRÉ-MOLDADAS PROTENDIDAS

A construção de pontes e viadutos com tabuleiros de vigas pré-moldadas protendidas e lajes concretadas no local é um dos métodos mais utilizados em todo o mundo para construção de pontes com vãos de até 30-40 metros. No Brasil a prática usual é a de se utilizar vigas pré-moldadas simplesmente apoiadas sobre aparelhos de apoio, formando vãos isostáticos independentes. Esse sistema estrutural apresenta vantagens em Esta em relação ao custo de construção e manutenção, além de proporcionar obras com maior simplicidade e agilidade de execução e onde a utilização do escoramento se torna onerosa e de difícil utilização.

 

RESERVATÓRIOS CILINDRICOS PROTENDIDOS

O uso da protensão em reservatórios de concreto é bastante simples, bastando “cintar” a casca cilíndrica de concreto com armaduras ativas (cordoalhas engraxadas ou aderentes). A grande vantagem do método está no fato de se obter paredes dos reservatórios em compressão mesmo com capacidade máxima de reservação. A protensão minimiza a formação de fissuras, o que reduz drasticamente a possibilidade de ocorrência de vazamentos e rupturas. Contribui também para o aumento da durabilidade, minimizando a possibilidade de corrosão de armaduras, principalmente em indústrias, onde as estruturas estão em contato com agentes bastante agressivos.

 

OBRAS INDUSTRIAIS

– Edificações em geral e galpões de logística ( galpões, escritórios e edifícios de apoio para instalações);

– Fundações e estruturas especiais para máquinas e equipamentos, inclusive com análises dinâmicas;

– Pisos industriais para altas solicitações (em concreto armado e protendido);

– Tanques industriais e estações de tratamento de efluentes em concreto.

 

PISO INDUSTRIAL EM CONCRETO PROTENDIDO

Pisos industriais e de centros logísticos estão sujeitos a vários tipos de carregamentos estáticos (pontuais devido a estantes metálicas e porta-pallets, distribuídas, devido a equipamentos, etc) e dinâmicos devido ao uso intenso de empilhadeiras, muitas vezes com rodas rígidas. Os elementos do piso que mais sofrem desgaste causados pela passagem ininterrupta das empilhadeiras são as juntas, sendo necessárias a sua manutenção periódica e a consequente paralização das atividades do galpão.

Dessa forma, a utilização do concreto protendido com cordoalhas engraxadas para execução de pisos industriais é uma solução bastante adequada e economicamente competitiva, pois permite a execução de placas de grandes dimensões e poucas juntas de dilatação.

A execução do piso segue basicamente as mesmas etapas do piso de concreto armado, porém, após a concretagem, acabamento superficial e cura, é feita uma protensão parcial dos cabos, visando combater o aparecimento inicial de fissuras de retração. A protensão final é executada somente quando o concreto atingir a resistência mínima especificada em projeto.

 

PROJETOS DE BASES DE MÁQUINAS EM CONCRETO ARMADO SUJEITAS A ESFORÇOS DINÂMICOS

O projeto de uma fundação de máquina deve considerar os esforços estáticos e esforços dinâmicos gerados pela operação do equipamento e transmitidos às suas fundações, no sentido de gerar um mínimo de conforto para aos usuários e para as edificações vizinhas, além de manter a integridade da própria máquina e de sua estrutura de fundação e elementos adjacentes à mesma.

Muitas fundações de máquinas são projetadas com base em “regras empíricas” como por exemplo a relação entre a massa da fundação m vezes a massa das partes móveis ou n vezes a massa da própria máquina. Esses critérios na maioria das vezes não são bem fundamentados cientificamente nem levam em consideração características importantes do solo, mas são bastante úteis para pré-dimensionamentos. Diante dos recursos computacionais disponíveis atualmente, análises mais aprofundadas são importantes e necessárias no sentido de garantir o bom comportamento em serviço, a segurança das pessoas e vida útil do equipamentos, evitando patologias e manutenções excessivas.

EDIFICAÇÕES

– Edifícios Residenciais e Comerciais;

– Shoppings Centers e Edifícios Corporativos;

– Edificações para fins diversos , Centros Esportivos e Ginásios de Esporte;

– Residências.

NOSSOS PROJETOS ESTRUTURAIS SÃO DESENVOLVIDOS COM AS SEGUINTES SOLUÇÕES:

– Estruturas convencionais em concreto armado moldado “in loco”;

– Estruturas com lajes planas (nervuradas ou maciças) em concreto armado ou protendido com cordoalhas engraxadas ou aderentes, estrutura moldada “in loco”;

– Estruturas com lajes treliçadas ou Sistema BubbleDeck, estrutura moldada “in loco”;

– Estruturas pré-moldadas em concreto armado ou protendido;

– Estruturas em alvenaria estrutural com blocos de concreto;

– Estruturas mistas.

 

CONCRETO PROTENDIDO EM EDIFÍCIOS:

O concreto protendido é utilizado em edificações com a finalidade de aumentar os vãos livres dos elementos estruturais , o que permite uma melhor utilização dos espaços e flexibilização da arquitetura. As estruturas protendidas apresentam um bom comportamento estrutural, menores deformações, controle da fissuração e maior durabilidade.

Seu custo é bastante competitivo tanto nos sistemas de cordoalhas engraxadas como no de aderentes, se comparado ao sistema convencional em concreto armado, considerando que existe uma redução dos índices de formas, volume de concreto e do número de pilares e fundações.

Dessa forma, esta tecnologia é amplamente utilizada em todo o mundo nas edificações residenciais e comerciais. A protensão não aderente (cordoalhas engraxadas) tem se destacado em relação à protensão aderente pela facilidade de execução, pois dispensa o uso de bainha metálica e injeção de nata de cimento. No entanto, para vãos maiores, a protensão aderente é mais econômica e mais segura devido a aderência à estrutura.

Estruturas com lajes maciças protendidas com ou sem viga de bordo para edificações residenciais e comerciais apresentam ainda uma vantagem adicional, que é atender aos requisitos da norma de desempenho -NBR 15575 – quanto ao item acústica.

 

CONCRETO PROTENDIDO EM RESIDÊNCIAS:

Estruturas em concreto protendido tem sido utilizadas em obras residências de alto e médio padrão, como forma de tornar mais esbeltas as vigas, reduzindo sua altura,  vencendo grandes vãos e balanços. Liberando principalmente as áreas sociais e de garagens dos pilares.